ARTIGOS

 
01 - Tema mensal

Por Joel Comiskey
Em 14 de Setembro de 2015

Deus amou tanto o mundo que Ele deu seu único filho. Ele amou tanto o mundo que se tornou um bebê, aprendeu Aramaico, se encaixou em uma determinada cultura, e se relacionou com as pessoas no nível delas.

Os missionários fazem a mesma coisa. Eles se mudam para um lugar, aprendem a língua, os costumes, e então tentam compartilhar as boas novas de uma forma que se relacione com aquela cultura. Paulo promoveu a sensibilidade cultural em 1 Coríntios 9:20-23, quando falou sobre se tornar tudo para todas as pessoas.

Mas também existem traços culturais que contradizem a Escritura. O suborno é um traço comum. Outras culturas mostram favoritismo para aqueles que nascem em uma casta em particular, enquanto deixam muitas pessoas de lado para um destino menos afortunado. Algumas culturas maltratam as mulheres. Outras promovem o individualismo.

Enquanto eu estava no seminário, eu aprendi que a forma de fazer uma igreja crescer é encontrar a metodologia que funciona em uma certa cultura. De acordo com esse ponto de vista, todas as culturas são amorais (nem boas, nem ruins), e é só uma questão de encontrar esses métodos que funcionem naquela cultura particular para que a igreja cresça.

Mas, ao determinar as nossas estratégias, devemos começar com a cultura ou com a Escritura? É possível levar longe demais a relevância cultural? Sim, eu acredito que sim.

A Escritura ou a teologia devem ser o fundamento por trás de nossas estratégias. Não é uma questão de saber se a metodologia funciona. Em vez disso, a questão é se isso está correto. Por exemplo, na cultura Norte Americana, o “individualismo” é a norma. Ao cultivar uma igreja, pode “funcionar melhor” promover o anonimato, tarefas, e grandes eventos a fim de proteger o espaço das pessoas. Essa estratégia pode reunir mais pessoas, mas ela está correta?

A Escritura é clara quando fala sobre comunidade, o “uns aos outros” da escritura, andar em unidade, hospitalidade, e muitas outras verdades do Novo Testamento. A norma bíblica não é o individualismo, mas o ministério mútuo e um estilo de vida orientado para o grupo.

Se tornar orientado para os relacionamentos é doloroso para os individualistas. Nós queremos fazer o nosso próprio negócio. Contudo, as Escrituras, e não a cultura, devem determinar quem nós somos e o que nós fazemos.

No Novo Testamento, o cenário da igreja doméstica era o foco principal do crescimento e do discipulado para os convertidos primitivos. Deus abençoou as reuniões daquelas igrejas domésticas para torná-las mais eficazes. Ele desenvolveu líderes dotados para servirem as igrejas domésticas individuais e para instruí-las publicamente. As igrejas em células seguem esse mesmo padrão.

Em outras palavras, nós temos igrejas em células porque é algo baseado na Bíblia, e não porque funciona ou é necessariamente a coisa culturalmente relevante a se fazer. Na verdade, o ministério da igreja em células frequentemente critica a cultura. Sim, nós precisamos ser sensíveis à cultura, como Paulo e Jesus, mas nossas estratégias precisam ser primeira e principalmente baseadas nas Escrituras, não na cultura.

Durante o mês de setembro, nós vamos explorar o tópico sobre cultura e ministério celular. Líderes-chave vão escrever nesse tópico, compartilhando suas convicções e experiências.

  • Semana 1 (13 a 19 de Setembro); O tema geral da Escritura e cultura; Nós devemos ser sensíveis e nos relacionar com a cultura, mas a Escritura eventualmente critica a cultura, e não o contrário. Toda cultura tem qualidades boas e más.
  • Semana 2 (20 a 26 de Setembro); A cultura bíblica é orientada para os grupos e uns para os outros. Essa era a cultura do Novo Testamento e é por ela que devemos nos esforçar, independentemente de uma cultura em particular.
  • Semana 3 (27 de Setembro a 03 de Outubro); Nós podemos mudar a cultura em áreas como veracidade, tratar as pessoas igualmente, discipulado relacional, ser responsável e se tornar diligente.

Qual é a sua reação para a Escritura, cultura, e o ministério celular? Por favor, comente aqui.

 




Artigos por tema




Artigos por Autor