ARTIGOS

 
18 - Comeša com a Cultura

Me perguntam frequentemente, “Qual a porcentagem de membros da sua igreja que estão em uma célula?” Minha resposta produz descrença todas as vezes; 100%. “100% de seus membros estão em uma célula?!” Eles perguntam: “Como você faz isso?” A resposta é simples: “É assim que você se junta à nossa igreja”. Ser membro da célula é ser membro da igreja. Ser membro da igreja é ser membro da célula.

Isso não quer dizer que todos os que frequentam nossos cultos aos finais de semana são membros. Eles não são. Mas quando eles estão prontos para se tornarem membros da igreja eles aprendem muito rapidamente: “A maneira para você se juntar à igreja é participar de um dos grupos celulares.”

Isso pode parecer radical para alguns de vocês. Mas no final do dia, se nós sinceramente acreditamos que a igreja é a ekklesia, isto é, os chamados para fora; e se acreditamos sinceramente que relacionamentos cristãos autênticos só podem acontecer em grupos de poucas pessoas que são bem unidas; então os cultos de celebração não são a igreja, eles são reuniões públicas que incluem a igreja, os sem-igreja, os salvos, os não-salvos, os curiosos e os comprometidos. Tenho certeza de que isso é o que Jesus tinha em suas reuniões públicas; ou seja, alguns amigos próximos, uma dúzia de seguidores comprometidos e milhares que vinham para ouvi-Lo ensinar.

Na verdade, eu aprendi isso um dia enquanto falava com um banqueiro não salvo e sem igreja. Eu tive um almoço de reunião com ele sobre um financiamento para um projeto de construção que estávamos planejando. Quando ele me pediu para descrever a nossa igreja eu desenhei o modelo de célula/culto de celebração em um guardanapo. Ele olhou para o desenho por um momento e disse: “Eu não estou interessado particularmente em quantas pessoas você tem participando aqui (ele apontou para os cultos de celebração). Eu quero saber quantas você tem aqui (e apontou para os nossos grupos celulares)”. Mesmo o banqueiro não salvo, com muito pouca experiência com igreja, entendeu que a força da nossa igreja estava nas pessoas que se comprometeram a estar em nossas células.

Daquele ponto em diante, as nossas celebrações se tornaram um lugar de reunião para as massas. Todo fim de semana nós incluímos um apelo de salvação e um chamado para fazer parte da família ao se juntar a uma célula. Todo o resto que fizemos, nós fizemos através das células.

Nossa cultura se tornou um em cada membro estar em uma célula. Amanhã vamos explorar como é isso em termos práticos.

Por Dr. Jim Wall
Em 27 de Maio de 2015

 




Artigos por tema




Artigos por Autor