ARTIGOS

 
18 - Compartilhando o amor de Deus geograficamente

Ken Brown, pastor presidente da Alliance Family Fellowship, uma igreja em células em Dover, Delaware

Quão poderoso é o amor de Jesus? Nós que O conhecemos, entendemos o que o Seu poder pode fazer em nossas vidas, nos libertando de cadeias, do medo e de uma vida que se intimida diante de situações difíceis. Sabemos que Seu poder pode resolver nossos problemas pessoas, mas será que pode resolver problemas de toda uma sociedade? Será que pode curar toda uma vizinhança da praga da solidão e do egoísmo? Será possível que o amor de Cristo pode tomar pessoas isoladas e criar uma comunidade real onde não apenas as pessoas conheçam umas às outras, mas demonstrem cuidado genuíno uns para com os outros? Essas foram questões que nos propusemos a responder quando pedimos que algumas de nossas células se tornassem células EAG (Evangelismo e Alcance Geográfico)

Não posso dizer que já alcançamos os objetivos, mas a jornada está sendo muito emocionante. Nossa questão nos encontrou caminhando pela vizinhança e recolhendo o lixo, varrendo as calçadas, roçando os gramados e fazendo festas com sorvete no jardim frontal da casa para os vizinhos. Oramos pelos enfermos, promovemos um chá de bebê para uma mãe solteira, consolamos os pais de um filho que estava preso, e oramos e rimos com crianças na vizinhança, enquanto eles andavam de bicicleta no nosso “Rodeio de Bike”.

As células EAG têm vantagens diferenciadas e apesar de eu perceber que nenhuma célula será exclusivamente geográfica devido à rede de relacionamentos, faz com que o evangelismo na célula seja efetivo. Definindo os limites geográficos da célula, sabemos qual o nosso objetivo e quando ele será alcançado. Nosso relacionamento com os vizinhos não apenas abriu os seus corações para o evangelho, como abriu seus corações uns para os outros. Gradativamente, o isolamento e a solidão estão se esvaindo, e aquele bloco está se tornando uma comunidade.

As células EAG estão sempre em busca de novas pessoas que são inseridas e também preocupadas em dar continuidade ao ministério com aquelas que se mudam. A visão que põe brasas no meu coração é esperar pelo dia em que nós teremos conhecido todos os nossos vizinhos, mostrando-lhes o amor de Deus que vai ao encontro de suas necessidades, e então compartilhando as Boas Novas de Cristo com eles. Aquele dia onde honestamente poderemos dizer, “olhem o que o amor de Jesus fez na nossa vizinhança.”

Por Ken Brown
Em 27 de Junho de 2013
 




Artigos por tema




Artigos por Autor