ARTIGOS

 
15 - Compartilhando Jesus Cristo com autenticidade

Em certas ocasiões conto a história de Dora, uma jovem da nossa célula no Equador, que às vezes compartilhava com o grupo suas dúvidas acerca da religião. De fato, ela não acreditava na igreja, mas gostava de ir à nossa célula porque ali ela podia falar livremente sobre suas lutas e descrenças. Certa vez, nossa célula decidiu mostrar parte de um vídeo de Jesus para o nosso Natal, e Dora, como sempre, estava conosco. Depois de exibir o vídeo, Dora exclamou: “Estou confusa!” Todos na célula vieram ao seu auxílio. Todos queriam demonstrar amor a ela e compartilhar suas experiências. Sua presença encorajou cada pessoa a compartilhar sua fé e usar seus dons. Minha esposa levou Dora a Jesus e eu tive o privilégio de batizá-la seis meses depois.

Muitos não cristãos estão buscando por uma comunidade de pessoas honestas que estejam dispostos a compartilhar suas fraquezas com o pecado e sua dependência de um Deus Vivo. Esse tipo de autenticidade é um atrativo para o não cristão e faz muito sentido. Muitos não cristãos conhecem cristãos que falharam ao viver de acordo com os princípios bíblicos e acham que a igreja é falsa e hipócrita (pessoas que tentam viver como santas e perfeitas, mas se tornam orgulhosas por isso). Eles desejam conhecer, ver e ouvir pessoas que estão em uma jornada, lutando com Deus a cada dia, não temerosos de falar sobre os conflitos conjugais, lutas com temperamentos, e vitórias, por meio do poder do Espírito Santo na nossa rotina diária.

Não apenas o compartilhar autêntico ajuda os não cristãos a crerem na verdade do evangelho, mas também auxilia o crente a se tornar mais parecido com Jesus. O compartilhar autêntico na atmosfera do grupo pequeno ajuda cada membro a crescer em sua caminhada com Jesus ao resistir à tendência de se esconder nas quinas do perfeccionismo. Em vez disso, eles abrem o coração e a alma e permitem que os outros vejam quem eles realmente são. Eles não se escondem atrás de aparências ou imagens forçadas. Eles percebem que se fortalecem ao compartilhar suas fraquezas. Eles constroem portas de entrada que levam à mais íntima comunhão do grupo. Temos experimentado momentos de comunhão onde todos tentam impressionar uns aos outros. Você é pressionado para impressionar. Por outro lado, a verdadeira comunhão cristã é transparente e honesta. João diz: “... se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo o pecado” (1 João 1.7). E é esse tipo de comunhão honesta que faz com que os discípulos cresçam e atrai não cristãos a Jesus.

 
Por Joel Comiskey
Em 24 de Junho de 2013
 




Artigos por tema




Artigos por Autor