ARTIGOS

 
05-As Casas e Os Primeiros Cristãos

A casa desempenhava um papel importante nas primeiras décadas do cristianismo. No primeiro século, a casa era o o lugar principal, onde as pessoas viviam e trabalharam. Hoje, existe uma diferença básica, já que as pessoas apenas residem em suas casas. Por essa razão, é difícil para nós imaginar a dimensão da centralidade de uma casa, uma vez que esta era o centro principal de operações.

Quando as pessoas se convertiam, não raro toda a casa se tornava crente em Jesus. Em outras ocasiões, Jesus disse aos seus discípulos que ele traria divisões entre os membros de uma família — entre aqueles que o seguem e entre aqueles que não o seguem. A verdade é que, de uma forma ou de outra, as casas eram a linha divisória entre a fé e a incredulidade.

Desde o início, foi por meio das casas que a igreja alcançou o mundo. O pano de fundo da casa definitivamente influenciou a teologia dos primeiros cristãos. Para eles, era como seguir o modelo de Jesus, que desenvolveu seu ministério nas casas. Sendo assim, não deveria ser surpreendente que depois da ressurreição de Jesus a igreja se reunisse no cenáculo da casa (muitos acreditam que era o mesmo lugar onde Jesus e os discípulos celebraram a última Páscoa juntos). Os discípulos queria continuar a tradição que Jesus havia anunciado.

A partir de Jerusalém, a expansão do evangelho aconteceu de casa em casa, cidade em cidade, nação a nação. Assim, o evangelho trouxe toda essa transformação por sua capacidade de influir na forma básica de organização social.

Hoje, a família ainda é a base da sociedade. Se os cristãos acreditam nessa verdade, temos mais razões para semear a semente do evangelho de casa em casa.

Pr. Mario Vega
12 de outubro de 2012

 




Artigos por tema




Artigos por Autor